• Meu perfil

    angelanatel

    angelanatel

    Escritora, professora, tradutora, linguista e teóloga, há vinte anos envolvida no trabalho voluntário de produção de material e ensino tanto no Brasil quanto em Moçambique. Licenciada em Letras - Português-Inglês pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR. Bacharel em Teologia pela Faculdade Fidelis, Curitiba/PR. Mestre em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR. Associada à ABIB – Associação Brasileira de Pesquisa Bíblica e participante da AHDig – Associação das Humanidades Digitais. Promove debates em blogs e reuniões informais além de ministrar aulas particulares de português, hebraico e inglês, cursos livres nas áreas de linguística, tradução, teologia e missiologia, e efetuar correções de textos em português. Mantém-se escrevendo, tanto em verso quanto em prosa, ligada ao teatro e à pintura, com o desejo de prosseguir em suas pesquisas (doutorado e aulas nas áreas de educação, teologia e letras) e trabalhos interculturais. Produção disponível em https://independent.academia.edu/AngelaNatel Banco do Brasil Agência 2823-1 C/C: 40006-8 Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7903250329441047 Editoria Online do Jornal: Direitos Humanos em Foco https://paper.li/f-1406058022 Outras redes: Twitter: @AngelNN http://www.pinterest.com/angelanatel/ http://www.skoob.com.br/usuario/902792 https://www.youtube.com/user/angelanatel http://vimeo.com/angelanatel007 http://www.linkedin.com/pub/angela-natel/65/296/58 http://www.babelcube.com/user/angela-natel Endereço para correspondência: Núcleo Rural Boa Esperança 2, Chácara 4 - Granja do Torto - Brasília - DF cep 70636-901 Banco do Brasil Agência 2823-1 C/C: 40006-8

    Visualizar Perfil Completo →

  • Follow Angela Natel on WordPress.com

Quando o Natal é todo dia

img_20161218_093945048

Realmente temos alguma razão para tratar o Natal com tanta diferença de outras datas como estamos acostumados a fazer?
Será que temos bases suficientes para combater o consumismo nessa época e rebatermos qualquer mensagem ou personagem que tome o lugar da pessoa de Cristo no centro das celebrações natalinas?
Perguntas que me chegam à mente nestes dias que antecedem as comemorações de fim de ano, em meio ao trabalho, ao cansaço de um ano repleto de mudanças e muitas incertezas pela frente.
Como cristã, creio ser inútil defender uma mensagem de paz, esperança, luz, comunhão, perdão e salvação nessa época se não o fazemos durante todo o ano, no dia-a-dia, da mesma maneira que qualquer demonstração de preocupação para com a vida alheia num momento específico – seja num momento extremo ou apenas por causa de uma festa – enquanto se vive como se o outro não existisse no resto do tempo.
Outra questão é a atitude de reverência inusitada que surge por causa de uma data que – sabido dos que conhecem as Escrituras – não difere em nada das demais. Entendo o valor da cultura e da tradição, principalmente como metodologia de ensino, porém não deixa de parecer hipocrisia tentar corrigir a reverência do outro mesmo que isso possa ferí-lo ou afastá-lo. Muito se fala em nome da verdade sem que haja compreensão e sensibilidade, porém o que se vê é pouco de Cristo nas atitudes que se mostram.
Com isso, quero te convidar a refletir comigo sobre a pessoa de Jesus Cristo, a razão de nossa existência e trabalho, por quem vivemos, a quem dobramos todas as certezas que podemos obter. Cristo, o autor e consumador de nossa fé, a razão de estarmos onde estamos, de recebermos de Deus a graça e a misericórdia de que necessitamos.
E essa graça e misericórdia é o que precisamos viver e compartilhar todos os dias do ano, em cada palavra, mensagem e atitude. Cristo, ao andar por essa terra, olhava para as pessoas e transmitia mais do que uma mensagem: Ele era a mensagem, a aceitação de Deus, o olhar de misericórdia, a vida que poderia saciar a sede de todo e qualquer que dEle se aproximasse. Que desafio ser como Cristo!
De que vale o trabalho, o ministério, a empatia, o serviço, se o trato com o outro não reflete a mão estendida de Cristo? Que mérito uma grande obra pode trazer, que alegria a realização de um grande ministério pode gerar se não poderia estar mais distante da imagem de Cristo que precisamos refletir?
É por isso que mais uma vez desejo me aquietar nestes dias de tanta agitação, e escolho olhar para Jesus, de quem procedem as fontes da vida eterna, para dEle receber a compreensão, o alívio e o descanso de que tanto necessito. Olho para Jesus e sou salva, salva de mim mesma, de minhas decepções, das rejeições e tristezas que me acometeram durante o ano, dos erros e impotências que inevitavelmente afloraram em minha caminhada.
É por isso que não consigo boicotar Papai Noel, principalmente porque tenho consciência de que de forma alguma ele poderia ser uma ameaça ao centro da mensagem do evangelho, que é a pessoa de Jesus Cristo. Não é possível tal competição, não há o que possa ofuscar Sua verdadeira obra em nossa vida, obra tal que pode ser percebida todos os dias do ano, e não apenas em dezembro.
Que privilégio não estarmos presos a um calendário para podermos viver e refletir tão preciosa salvação! Que Jesus Cristo continue sendo engrandecido, seja em nossa vida, seja em nossa morte, em meio a alegrias e sofrimentos, com dúvidas ou certezas, e que aqueles que nos cercam percebam Sua vida, atitudes e presença todos os dias do ano em nós, para a glória única e exclusiva de Deus.
Feliz Natal, queridos!

Angela Natel – 22/12/2016.

 

 

Anúncios

Muito obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: